quinta-feira, 21 de abril de 2016

Esfinge - Robin Cook



  Erica está realizando um sonho muito antigo: conhecendo o Egito e todas suas maravilhas. Apaixonada pelo tema, ela é uma egiptóloga e pretende conhecer de perto as coisas que sabe apenas na teoria. Já no primeiro dia em Cairo, o que era para ser somente uma viagem de conhecimentos acaba por se transformar em terror: Erica acaba visitando uma loja em que encontra várias peças falsas, mas também alguns artefatos verdadeiros, além de uma das antinguidades mais cobiçadas: uma estátua do Faraó Seti I. Atordoada pela descoberta, ela ainda estava tentando assimilar o que tinha acabado de ver, quando visitantes inesperados aparecem na loja e assassinam o dono. Como Erica não estava a vista, eles não a perceberam, mas levaram a estátua que ela tinha acabado de ver. Enquanto ainda tentava se recobrar do susto, dois franceses entraram na loja, um deles, cujo nome é Yvon, a aconselha a não procurar as autoridades locais, pois os policiais eram corruptos e, em vista do enorme valor da referida estátua, Erica poderia enfrentar sérios problemas, podendo até ser considera suspeita pela morte. Enquanto continuava em sua viagem pelo Egito, Erica se depara com mais uma pessoa totalmente inesperada: o diretor-geral do departamento de Antiguidades da República Árabe Egípcia, Ahmed, que demonstra um consideravel interesse pela pessoa que Erica acabou de conhecer, Yvon. Como se não bastasse o primeiro assassinato que testemunhou, um segundo homem é morte na sua frente enquanto ela visitava um dos pontos turísticos Egipcios. Sem saber em quem confiar, tentando não deixar que sua atração pelo Yvon acabe interferindo em seus julgamentos, Erica está disposta a ajudar a desconbrir onde está estátua, mesmo sem ter noção que de essa atitude pode trazer riscos a sua vida.

Minhas impressões:
Ótimo livro de romance, cheio de reviravoltas, tramas e conspirações que atravessam gerações. Ganâncias que acabam causando a morte de diversas pessoas que ousam questionar certos assuntos. Apesar de trazer um assunto não muito difundido, como a linguagem usada na época dos faraós e todos os acontecimentos relacionados a isso, o livro é bastante envolvente e cativante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário